Sobre Chico Buarque, o Prémio Camões e a Lusofonia

O Prémio Camões foi instituído pelos governos do Brasil e de Portugal em 1988. Premeia anualmente um autor lusófono pelo conjunto de toda a sua obra e o seu objectivo principal é premiar autores que contribuem para o enriquecimento do património literário e cultural da língua portuguesa. O júri é composto por representantes do Brasil, de Portugal e de países africanos de língua oficial portuguesa.

Porque é que este prémio é importante? Este prémio é considerado o mais importante prémio da língua portuguesa (contempla anualmente autores da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – CPLP) porque é uma forma de consagrar anualmente um autor de língua portuguesa, uma forma de divulgação dos autores lusófonos, uma forma de mostrar ao resto do mundo que se escreve bem em língua portuguesa. Eu diria ainda que é uma forma de unir, de aproximar, a comunidade lusófona espalhada pelo mundo, mostrando a todos que sim, temos uma cultura em comum. Estamos tão embrenhados nas nossas vidas, cada um no seu país, que muitas vezes nem nos lembramos disso.

Neste ano de 2019 o vencedor do Prémio Camões foi o brasileiro Chico Buarque.

 

Chico Buarque


Francisco Buarque de Hollanda nasceu no Rio de Janeiro a 19 de Junho de 1944. É conhecido sobretudo pelo seu trabalho como músico tendo já quase 80 discos e pelo seu trabalho como autor, mas também tem vários livros publicados.

A sua obra publicada em Portugal:

Leite Derramado

Wook.pt - Leite Derramado

Um homem muito velho espera a morte numa cama de hospital. Membro de uma família tradicional, desfia, num monólogo dirigido a quem quiser ouvir, a história da sua linhagem, desde os antepassados portugueses ao avô que lutou pelo fim da escravatura.

Um sucesso no Brasil e em Portugal, o romance venceu o Prémio Portugal Telecom de Literatura, o Prémio Jabuti e foi eleito o livro do ano pela revista Bravo.

 

 

Tantas Palavras

Wook.pt - Tantas Palavras

Pela primeira vez em Portugal, a vida e a palavra de Chico Buarque num só volume. Tantas Palavras reúne todas as letras escritas por Chico Buarque desde Tem mais samba (1964), que ele considera o marco zero da sua carreira. Num texto a que não faltam humor e emoção, revelando saborosas histórias, o leitor acompanha Chico Buarque na sua fascinante trajectória de homem e de artista, para com ele desembocar na serena maturidade de um músico que se afirmou também como grande romancista.

 

 

O Irmão Alemão

Wook.pt - O Irmão Alemão

Aos 22 anos Chico Buarque descobriu que tinha um irmão alemão. Sergio Buarque de Hollanda, reputado historiador e crítico literário, pai de Chico, vivera na Alemanha entre 1929 e 1930, enquanto correspondente de um jornal. A efervescente Berlim dos anos 30 serviu de cenário a um romance com uma mulher alemã, de quem teve um filho que nunca chegou a conhecer. Chamava-se Sérgio Ernst. Quase cinco décadas depois da descoberta, Chico Buarque decidiu fazer da existência desse irmão – e do silêncio em torno dele – a matéria do seu próximo romance. Mas antes precisava de saber exactamente o que lhe acontecera.  Dessa busca nasce este romance. Magistralmente conduzida por um narrador obsessivo, delirante, megalómano e profundamente solitário sem o querer ser, a narrativa enreda o leitor numa trama em que realidade e devaneio se confundem permanentemente. A páginas tantas, a busca de narrador e autor passa a pertencer igualmente ao leitor, também ele desesperadamente procurando esse irmão desconhecido.

 

Wook.pt - BenjamimBenjamin

Numa narrativa de suspense constante, com múltiplas perspectivas e camadas, imbuída do lirismo que lhe é característico, Chico Buarque conduz o leitor a uma experiência vertiginosa.

Um romance fortíssimo e tumultuoso, justamente elogiado pela crítica como um dos mais originais textos da literatura brasileira contemporânea.

 

 

A Banda

Wook.pt - A Banda

Escrita e composta por Chico Buarque em 1966, A banda venceu o II Festival de Música Popular Brasileira, para o qual foi escrita, e conheceu um sucesso imediato nesse mesmo ano.
Afonso Cruz viu na letra desta canção a celebração da vida e a vitória da música sobre a prisão das rotinas cinzentas e burocráticas.
A banda passa e a música liberta-nos e relembra-nos que, antes de sermos o que somos, podíamos ser o que quiséssemos.

 

 

Budapeste

Wook.pt - Budapeste

Terceiro romance do cantor/compositor brasileiro Chico Buarque. O protagonista é uma espécie de “homem duplicado”. José Costa, escritor, após uma aterragem forçada em Budapeste apaixona-se pela língua húngara, o que o torna Zsose Costa. A partir daí a sua vida divide-se em duas: dois amores, duas cidades, duas línguas, duas culturas. Também o herói do seu romance mais aclamado, Kaspar Kraube, um executivo alemão que viaja para Guanabara aprendera a escrever português no corpo de Teresa (ecos de O Livro de Cabeceira, de Peter Greenaway) e continuou essa aprendizagem noutros corpos. Na Hungria, Zsose Costa, publica um livro de poemas sob pseudónimo.
Quem é quem? O que é de quem? Somos um único, ou vários dentro do mesmo corpo?
Especulações de um romance de referências cruzadas.

 

Estorvo

Wook.pt - Estorvo

Narrativa simultaneamente poética e alucinante, Estorvo constitui uma grande metáfora do Brasil e porventura do mundo contemporâneo. Uma das mais sólidas obras da literatura brasileira dos últimos tempos, e um livro de grande sucesso em Portugal.

 

 

Vencedores anteriores:

2018 • Germano Almeida
2017 • Manuel Alegre
2016 • Raduan Nassar
2015 • Hélia Correia
2014 • Alberto da Costa e Silva
2013 • Mia Couto
2012 • Dalton Trevisan
2011 • Manuel António Pina
2010 • Ferreira Gullar
2009 • Armênio Vieira
2008 • João Ubaldo Ribeiro
2007 • António Lobo Antunes
2006 • Luandino Vieira (Prémio recusado pelo autor)
2005 • Lygia Fagundes Telles
2004 • Agustina Bessa-Luís
2003 • Rubem Fonseca
2002 • Maria Velho da Costa
2001 • Eugénio de Andrade
2000 • Autran Dourado
1999 • Sophia de Mello Breyner Andresen
1998 • António Cândido de Melo e Sousa
1997 • Artur Carlos M. Pestana dos Santos, o Pepetela
1996 • Eduardo Lourenço
1995 • José Saramago
1994 • Jorge Amado
1993 • Rachel de Queiroz
1992 • Vergílio Ferreira
1991 • José Craveirinha
1990 • João Cabral de Melo Neto
1989 • Miguel Torga

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s