O Carteiro de Pablo Neruda – Antonio Skarmeta

“Embora as ondas fossem muitas, o meio-dia imaculado, a areia mole e a brisa leve, não floriu nenhuma metáfora. Tudo o que no mar era eloquência, nele foi mudez. Uma afonia tão enérgica, que até as pedras lhe pareceram tagarelas em comparação.”

“Preciso desesperadamente nem que seja do fantasma da minha casa. A minha saúde não anda bem. Falta-me o mar. Faltam-me os pássaros. Manda-me os sons da minha casa. Vai ao jardim e deixa tocar os sinos. Primeiro grava esse repicar fininho dos sininhos pequenos quando os agita o vento, e a seguir puxa a corda do sino maior, cinco, seis vezes. Sinos, meus sinos! Não há nada que soe tanto como a palavra sino, se a ouvimos de um campanário junto ao mar.”

“ ‘Ao amanhecer, armados de uma ardente paciência, entraremos nas esplêndidas cidades.’ Eu acredito nesta profecia de Rimbaud, o vidente. Eu sou de uma obscura província, de um país separados dos outros pela cortante geografia. Fui o mais abandonado dos poetas e a minha poesia foi regional, dolorosa e chuvosa. Mas tive sempre confiança no homem. Nunca perdi a esperança. Por isso, cheguei até aqui com a minha poesia e a minha bandeira. Em conclusão, tenho de dizer aos homens de boa vontade, aos trabalhadores, aos poetas, que todo o futuro está expresso nesta frase de Rimbaud: só com uma ardente paciência conquistaremos a esplêndida cidade que dará luz, justiça e dignidade a todos os homens. Assim a poesia não terá cantado em vão.”

 

Mario é um jovem pescador que se sente aborrecido com a sua vida na Ilha Negra. É então que se candidata ao emprego de carteiro e algo começa a mudar. Clientes, ele tem apenas um, mas muito especial: o poeta, Pablo Neruda. Aos poucos Mario e Pablo vão travando amizade e na vida do jovem carteiro entra a poesia e as metáforas.

É então que Mario conhece Beatriz e se apaixona. Quem mais o poderia ajudar a conquistar a jovem senão Neruda?

E irá Neruda ganhar o prémio nobel da literatura? Ser presidente do Chile?

Este é um livro muito leve, com uma escrita muito leve e uma prosa recheada de poesia, metáforas, amor e erotismo. Tem um toque de história e politica do Chile e um toque de biografia de Pablo Neruda sem se tornar demasiado pesada. Ensina, sem sentirmos que estamos a aprender. É uma história de uma simplicidade tremenda e, ainda assim, com muita coisa implícita. Extremamente doce.

As personagens são muito simples, sem terem uma personalidade muito forte ou aprofundada e isso em nada afecta a história. Cumprem o seu papel. Adorava ter lido mais diálogos entre Mario e Pablo, pois os diálogos deles tem sempre uma beleza especial. Uma história sobre uma amizade desinteressada e verdadeira.

Muito recomendado!

 

Livro na Wook

*Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para o Ensino Secundário

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s