Onze Minutos – Paulo Coelho

“Se eu tivesse que contar hoje a minha vida para alguém, poderia fazê-lo de tal maneira que iriam me achar uma mulher independente, corajosa e feliz. Nada disso: estou proibida de mencionar a única palavra que é muito mais importante que os onze minutos – amor.
Durante a minha vida, entendi o amor como uma espécie de escravidão consentida. É mentira: a liberdade só existe quando ele está presente. Quem se entrega totalmente, quem se sente livre, ama o máximo.
E quem ama o máximo sente-se livre.”

 

“Existe um nome para esta pedra: paixão. Ela pode descrever a beleza de um encontro fulminante entre duas pessoas, mas não se limita a isso. Está na excitação do inesperado, na vontade de fazer alguma coisa com fervor, na certeza de que se vai conseguir realizar um sonho. A paixão nos dá sinais que nos guiam a vida – e cabe a mim saber decifrar estes sinais.”

 

Este livro conta a história de Maria, uma mulher de origem brasileira a viver então na Suíça. A história, como se fosse um conto de fadas para adultos, começa com a frase “Era uma vez uma prostituta chamada Maria”. De facto, este livro poderia realmente ser um conto de fadas para adultos.

Maria é uma pessoa normal, como qualquer um de nós. O livro é sobre dor, amor e sexualidade, é sobre a luta diária de Maria e a maneira como ela vive esta sua dura realidade. Maria desilude-se com o amor, então passa a viver do sexo e não se pode mais apaixonar. Até ao diz em que se apaixona.

Eu, que já li todos os livros de Paulo Coelho e adoro a escrita deste autor, sinto uma ligeira diferença na escrita deste livro e dos outros. É só um pouco menos poético. No entanto a escrita continua a ser óptima e a leitura é fácil e ligeira. As grandes frases e os ensinamentos que estamos habituados a receber com os livros dele continuam lá. A sensação que me deixa, a mim, é que esta é apenas uma realidade menos próxima do escritor. Isso pode dificultar a escrita.

Maria é uma prostituta e uma personagem imensamente humana e encantadora. Uma daquelas personagens de que começamos a gostar quase instantaneamente. Ficamos a torcer por um bom final para ela. O livro é intercalado entre um narrador não participante e pedaços do diário de Maria, na 1ª pessoa. Apesar de curtos, são a minha parte preferida. Aproximam-nos da personagem e fazem-nos compreender melhor as suas dores e o seu lado da história.

Em resumo, um verdadeiro conto de fadas para adultos, repleto de luta, amor e sexualidade.

Livro recomendado!

 

Livro na Wook

 

 

One comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s