Muita roupa e nada para vestir?

Todos nós já passamos por esta experiência, não é? Acordamos, um novo dia, vamos ao armário escolher o que vestir e….pânico! Ele está cheio e não temos nada que vestir!

O que é que a maioria das pessoas faz então? Veste alguma coisa que considera “menos má”, provavelmente uma das primeiras coisas que lhe aparecer à frente, ou então experimenta, veste e despe toneladas de roupa até se contentar com “qualquer coisinha” e sai para a rua, só para passar o dia a sentir-se desconfortável com o que está a usar. Depois, na primeira oportunidade, enfia-se na loja de roupa mais próxima só para trazer consigo mais uma dezena de peças (aquelas que o seu poder económico lhe permitir) que vão acabar encafuadas no fundo do guarda-roupa. E a pessoa vai continuar a ter demasiada roupa e muito pouco o que vestir.

O que podemos fazer para resolver esse problema? Várias coisas.

1- Faça um detox ao seu guarda-roupa

Esse é o primeiro passo. Tire um dia só para isso, ou pelo menos umas horas, e faça calmamente um detox ao guarda roupa.

Tire peça a peça e olhe para cada uma individualmente, com calma.

É uma peça que adora? Usa-a com frequência? Então é para ficar. Acha-a bonitinha mas não se sente confortável quando a veste? Já não lhe serve? Não é muito o seu estilo mas planeia usá-la naquele dia especial daqui a 20 anos, quando voltar a perder 10kg? Esqueça-a. Venda ou doe.

Para muita gente fazer um detox ao guarda roupa não é fácil. É difícil livrar-mo-nos de coisas nossas, mesmo aquelas que usamos pouco ou nada, seja por razões emocionais, seja pelo preço que ela custou ou pela esperança de um dia voltarmos a usar. Mas é essencial se queremos eliminar o problema do “muita roupa e nada para vestir”.

Fique apenas com as peças que usa regularmente, aquelas com que se sente realmente linda e confortável. Quando olhar para uma peça tem de ter a certeza que gosta dela e que a vai usar. Se existir a mínima dúvida, por mais pequena que seja, então não vai usar, vale mais tirá-la dali.

Venda, doe.

2- Conheça o seu estilo

Você é uma pessoa recatada, que não gosta de dar nas vistas e de chamar a atenção sobre si? Então não compre aquela blusa cheia de brilhantes que viu na montra, por mais tendência que ela seja, porque não a vai usar! Pelo contrário se é uma pessoa que gosta de brilhantes e de dar nas vistas, se calhar não lhe adianta muito comprar um blazer preto ou uma camisa branca só porque ouviu dizer que todas as mulheres deviam ter uma. A peça vai ficar só lá parada no guarda fato, sem nunca ser usada e ainda vai contribuir para a baralhar e para a impedir de ver peças que realmente podia usar quando vai escolher o que vestir.

Conhecer o seu estilo próprio, sem se deixar influenciar por tendências ou terceiros, é o passo mais importante se quer ter um armário funcional, que a represente e em que use realmente tudo o que tem.

3- Pense bem antes de comprar

Já fez o detox ao seu armário? Viu que lhe falta AQUELA peça essencial para o seu estilo? Então tudo bem, se a pode comprar vá comprá-la.

Mas não entre numa loja só porque teve um dia mau ou porque se quer presentear ou porque teve dificuldades em decidir o que vestir de manhã.

Quando for às compras veja o que se encaixa no seu estilo. Não compre só por ser tendência. A peça deve combinar com pelo menos 60% do seu guarda roupa. Não adianta comprar aqueles sapatos vermelhos magníficos e poderosos se depois não os conseguir usar por falta de combinações!

Depois, experimente as peças que seleccionou. Por vezes vemos algo que parece muito lindo nos cabides mas que quando vestimos no nosso corpo não gostamos. Nunca saia da loja sem experimentar uma peça!

Outra coisa a lembrar são os ajustes. Sim, as peças podem ser ajustadas depois de comprar. Se for uma simples bainha, até nem é nada de mais. Mas aquelas peças que precisam de alargar dum lado, ajustar do outros e ainda tirar pormenores? Não vale a pena! Com certeza há-de haver a peça perfeita para si noutra loja, não leve só por levar!

No fim, se ainda tiver dúvidas sobre uma peça, não traga. No dia a dia vai acabar por só vestir realmente aquelas com que se sente linda, não aquelas sobre as quais tem dúvidas, então porquê desperdiçar o dinheiro?

4- Organize!

Organização é bem mais importante do que pode parecer à primeira vista. Sabe aquilo que todos costumamos dizer de que “eu encontro tudo no meio da minha desorganização”? Não é verdade. É só uma ligeira mentira em que todos nós preferimos acreditar para não ter de arrumar toda a nossa desarrumação.

Mas se quer ter um armário funcional, em que usa toda a sua roupa e se sente linda a cada dia, não tem outra solução. Vai ter de organizar.

Tem imensas formas de o fazer. O melhor é ver qual funciona melhor para si.

Mas alguns conselhos são:

  • Que os cabides sejam todos iguais, ou pelo menos o mais iguais possíveis. Isso vai criar uma maior concordância visual e vai ser menos uma distracção para o seu cérebro quando for escolher a roupa. Também pode, se tiver paciência para isso, deixá-los virados a todos para o mesmo lado. Mal vai dar por eles.
  • Separe as roupas por classes. Pode ser por estações do ano, por tipo (calças de um lado, saias do outro…), por objectivo (roupa de trabalho, roupa de lazer…), por cor ou por ou qualquer outra forma que faça sentido no seu dia a dia. O objectivo é, quando precisar de uma peça daquele tipo, não precisar de andar à procura. Tem de saber exactamente onde tudo está. Ou pelo menos tentar.
  • Não guarde no armário roupa sem que ela esteja pronta a ser usada. Se a blusa tem uma nódoa, mesmo que pequena, ela tem de ir para lavar. Se o casaco está amarrotado, vai ter de ser passado. Se os guardar assim vai acabar por se esquecer que eles estão assim e no dia em que os quiser usar, eles vão continuar assim. É importante para a organização do guarda roupa, para evitar que as outras roupas que estão limpas fiquem sujas no contacto com essas peças e para que passe uma boa imagem no seu dia a dia. Imagine que se esquece mesmo da nódoa e sai de casa com a blusa assim?
  • Saiba como combinar as suas roupas. Se for preciso, se for um caso meio desesperado, faça um inventário do que têm. Veja quais combinam entre si, como pode combiná-las de forma diferente e veja ideias de looks. Inspire-se.
  • Não repita peças. Por muito que goste daquela sua camisa branca, será que vale a pena ter dez iguais? Não, nem que sejam dez apenas muito parecidas. Vai acabar por usar quase sempre a mesma e as outras vão ficar lá só a ocupar espaço e a servir de distracção para que não veja o que mais tem.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s