A Incrível Viagem do Faquir que Ficou Fechado Num Armário Ikea – Romain Puértolas

“Sozinho, não aproveitava tão bem as coisas e as descobertas. Muitas vezes, a nostalgia dos nossos torna pobre e mesmo insípida a mais prodigiosa das paisagens.”

“Tinham abandonado tudo para partir para um país onde pensavam que os deixariam trabalhar e ganhar dinheiro, mesmo que para isso tivessem de apanhar merda com as mãos. Era tudo o que pediam, apanhar merda com as mãos, desde que os aceitassem. Encontrar um trabalho honesto a fim de poderem enviar dinheiro para a familia, para a sua gente, para que as crianças não ostentassem aqueles entres dilatado e pesados como bolas de basquete, e ao mesmo tempo tão vazios, para que sobrevivessem todos à luz do sol, sem as moscas qe se colam aos lábios depois de terem pousado no cu das vacas. Não, ao contrário do que a canção de Aznavour nos faz crer, a miséria não era menos penosa à luz do sol. Porque nascem uns aqui e outros lá longe? Porque tinham uns tudo e outros nada? Porque viviam uns, e a outros, sempre os mesmos, restava apenas o direito de se calarem e morrerem?”

 

Cuidado! Não se deixem enganar pelos excertos que escolhi! Quase levam a crer que este é um livro profundo. Este não é um livro profundo! Na verdade, não é um livro que vos vai marcar, que vai ficar na memória por anos a fio ou ensinar grandes lições. Este é, basicamente, um livro para rir. E deixem que vos diga, cumpre perfeitamente a sua função.

Não que não toque, no fim de contas, em alguns temas sérios. Toca, ao de leve. Deixa-nos levemente a pensar. Mas é sobretudo um livro de comédia.

Esta é a história de Ajatashatru Larash (pronunciar Lá Estás Tu na Laracha), um faquir de profissão que viaja da sua terra na Índia para França, para ir ao Ikea comprar uma cama de pregos que está em promoção. Quase podia ser uma viagem normal se não fosse o facto de Ajatashatru ser um completo aldrabão mágico, habituado a enganar tudo e todos com os seus truques. Parte para França apenas com uma nota falsa de 100 euros no bolso, imprimida de um só lado. Viaja de armário, de mala, de balão e…quem sabe o que mais?

Uma viagem no mínimo caricata, com uma personagem ainda mais caricata e muito encantadora. Não interessa se Ajatashatru comete boas ou más acções, ao longo da história o leitor dá por si a torcer fielmente que tudo lhe corra bem.

Eu não costumo gostar deste género de livros, muito sinceramente. Quando o comprei, na feira do livro, tive muitas dúvidas. Achei que provavelmente nem ia acabar do ler. Mas li e gostei muito.

Um livro muito recomendado para passar um bom bocado, para rir a bom rir, para desanuviar de leituras mais pesadas, para quem quer ler algo um pouco mais “fora da caixa”.

 

Livro na Wook

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s