Os livros preferidos de 2021

Pedro Páramo
Juan Rulfo

Wook.pt - Pedro Páramo

Livro Físico

Juan Nepomuceno Carlos Pérez Rulfo Vizcaíno nasceu a 16 de Maio de 1917 em San Gabriel no México e faleceu a 7 de Janeiro de 1986 na Cidade do México. Publicou apenas duas obras em vida: El llano en llamas em 1953 e Pedro Páramo em 1955. Pedro Páramo é um dos mais reconhecidos clássicos mexicanos. Nesta história Juan Preciado foi criado pela mãe, sem nunca ter conhecido o seu pai. Então, no leito de morte, ela obriga-o a prometer que irá procurar o seu pai, Pedro Páramo, e fazê-lo dar-lhe o que lhe é devido. E Juan Preciado vai. Parte então para Comala, uma pequena cidade que se situa numa região deserta, onde vive o seu pai, o grande senhor e dono da terra. Então, Juan começa a perceber algo estranho. Todas as pessoas com quem ele vai falando nessa cidade, todas as pessoas que ele encontra, estão mortas. Comala é uma cidade fantasma! Através deles ele vai conhecendo a história de Pedro Páramo, o seu temível pai, e de todo o mal que ele fez àquelas pessoas. Em tempos, Pedro Páramo amou uma mulher, mulher essa que morreu. As pessoas de Comala, que pouco ou nada se importaram com essa perda, ganharam então o ódio de Pedro Páramo e se já antes ele era cruel agora seria temível. Mais temível que ele era apenas Miguel Páramo, o único filho dos muitos bastardos que fez que reconheceu. Violações e assassinios eram comuns para esse rapaz. Quando morre ao cair de um cavalo, o padre vê-se obrigado a fazer a missa por ele e é então castigado pela Igreja, ficando incapaz de absolver os fiéis dos seus pecados. Isso leva a que todas as pessoas que morrem a partir daí em Comala vagueiem eternamente por ela. Juan Rulfo tem uma escrita deliciosa e muito acessível, mas Pedro Páramo está longe de ser um livro fácil de ler. A narrativa não é linear, ora está no presente ora vai ao passado; a narração é feita por vezes na primeira pessoa, outras vezes na terceira pessoa; e a história é extremamente complexa e construída como se fosse uma manta de retalhos. Vamos sabendo tudo aos poucos, intercalado. E tudo isto em menos de 200 páginas! Li e irei com certeza reler, porque me deixou a sensação de não ter percebido tudo. É uma daquelas leituras a que é preciso voltar, uma e outra vez. Pedro Páramo é um livro verdadeiramente incrível. É dificil explicar o porquê a quem não conhece a história, mas a verdade é que nunca li nada minimamente parecido com isto. Em um ou outro momento fez-me lembrar os Cem Anos de Solidão de Gabriel García Márquez, mas as histórias são tão diferentes que nem faz sentido compará-las. Um livro excepcional! 5*

Era uma vez uma raiva
Blandina Franco

Wook.pt - Era uma Vez uma Raiva

Livro Físico

No início, era apenas uma raiva pequenina, que estava meio escondida e se alimentava dela própria. Mas a raiva começou a crescer e a crescer e a determinada altura já se alimentava de tudo e já ocupava tudo e era enorme. E as raivas são cegas e surdas, não vale a pena falar com elas, e ela crescia e crescia e crescia… Um livro excelente, com um peso que os adultos percebem muito bem. Um excelente ponto de partida para falar com os mais novos sobre a raiva e os sentimentos mais pesados. Muito, muito interessante. Muito recomendado! 4*

Menino, Menina
Joana Estrela

Wook.pt - Menino, Menina

Livro Físico

É menina ou menino? Rapaz ou rapariga? Gosta de dança ou de futebol? O que este livro nos diz é que, independentemente de sermos uma ou outra coisa, somos todos muito mais que isso e cada um pode ser tudo o que quiser. Descobri este livro por acaso e foi amor à primeira vista. Feito em verso, dá para ler normalmente, para de ler forma mais interactiva e mesmo para ler a cantar. É um livro fantástico, escrito de uma forma que facilmente prende os leitores mais novos, com pouco texto e ilustrações simples mas boas. Serve para ensinar aos mais novos que cada um pode ser o que quiser, vestir roupa da cor que quiser ou ter os hobbies que quiser. E que todos somos muitos mais que só um “menino” ou uma “menina”. É um óptimo livro quer para ler em voz alta às crianças, quer para usar numa actividade, quer para eles lerem sozinhos. Nós por cá recomendamos para crianças entre os 3 e os 9 anos, mas pode perfeitamente ser lido aos mais pequeninos também. Excelente! 5*

Às Mulheres Portuguesas
Ana de Castro Osório

Link para o ebook gratuito (PDF)

Ana de Castro Osório nasceu a 8 de Junho de 1872 em Mangualde e faleceu a 23 de março de 1935 em Setúbal. Foi escritora, tendo escrito sobretudo livros infantis, jornalista e pedagoga. Era também marcadamente feminista e activista republicana. Podem ver outras obras desta autora neste link. Em Às mulheres portuguesas Ana dirige-se, tal como o título diz, directamente a todas as mulheres portuguesas. Esta obra é o primeiro manifesto feminista português. Aqui, ela tenta alertar as mulheres para a importância da educação feminina e da sua independência financeira. Segundo Ana, até para ser uma dona de casa era essencial que a mulher tivesse alguns estudos e educação, para melhor poder educar e instruir os filhos, não se permitind ser intelectualmente inferior a eles. Passa por temas como a educação, o trabalho, a maternidade e o casamento mas também por outros mais vastos como as mulheres e a política e a situação do povo. Pode parecer a um leitor mais desavido que este texto não é nada de especial, mas a verdade é que é. Foi um marco no seu tempo, é um documento histórico, e a coragem de Ana ao trazê-lo à luz do dia merece todo o nosso respeito. A leitura é fácil apesar de se encontrar num português mais antigo e as suas intenções são claras: levar as mulheres a lutarem pela sua educação e independência financeira; permitir que a sociedade aceitasse esta necessidade feminina; pôr as pessoas a pensarem na desigualdade que existia entre os sexos. É uma leitura verdadeiramente interessante, quer pelo seu valor feminista quer pelo seu valor histórico. Aqui olhamos directamente a sociedade da época e vemos o papel que as mulheres desempenhavam. Muito mudou desde que Ana escreveu este documento. Mas o mais impressionante é ver o quanto ainda há para fazer. Muito recomendado! 5*

Harleen
Stjepan Sejic

Wook.pt - Harleen

Livro Físico 1
Livro Físico 2

Stjepan Šejić nasceu a 27 de novembro de 1981 em Vinkovci, na Croácia. É escritor e artista de banda desenhada e é conhecido pelo seu trabalho nas séries Witchblade, Afrodite IX, Sunstone e The Darkness, entre outros. Nestas duas bandas desenhadas Harleen conhecemos a história da anti-heroína Harley Quinn, a sua formação e transformação. Conhecemos a sua historia de amor e obsessão com Joker. A primeira coisa que tenho de dizer sobre estas obras (e que vou repetir e repetir até à exaustão) é que as ilustrações são extraordinárias! Completamente extraordinárias! Tudo, desde a conjugação de cores ao traço, é muito bom. Sabemos e percebemos visualmente que são desenhos, mas são de um realisto incrível e o autor não se limita ao longo do livro, cada personagem é de uma maneira, cada cenário é um ambiente totalmente diferente. É um livro feito com uma mestria excepcional! Depois, claro, a história. Eu admito que adoro a história da Harley, tem um encanto muito particular. Doentio, fora da caixa, arriscado, desafiador. A história podia continuar por mais vinte livros que ainda assim eu ia ler todos. Muito, muito recomendado! 5*

O Leitor do Comboio
Jean-Paul Didierlaurent

Wook.pt - O Leitor do Comboio

Livro Físico

Jean-Paul Didierlaurent nasceu a 2 de março de 1962 em Vosges, na França. É romancista e novelista. Nesta obra Guylain Vignolles vive sozinho com o seu peixinho vermelho, quase o único confidente de que dispõe. A mãe vive longe e não sabe a verdade da sua vida, namorada não há e os amigos são poucos. Ainda assim não é isso, nem sequer o nome que é um trocadilho triste com a expressão “fantoche feio”, o pior dos seus dias. O pior dos seus dias é o seu trabalho! Guylain trabalha numa fábrica de reciclagem de papel e produção de livros. Ele é o encarregado de manusear A Coisa, uma assustadora máquina de várias toneladas, com mortais dentes de aço que destroem toneladas de livros de cada vez! Guylain detesta o seu odioso trabalho e sempre que consegue salva as poucas páginas que A Coisa não consegue destruir. Depois, lê-as em voz alta no comboio, para quem o quiser ouvir. E serão essas viagens de comboio que começarão a mudar a sua vida… Há livros que nasceram para ser clássicos e outros que não. Este é um daqueles livros que nunca serão um clássico da literatura, mas não faz mal. A história deste livro é simples, singela, tocante e apesar de tudo muito “fora da caixa”. Não sei se foi por a minha vida ser sempre no meio dos livros ou se acontecerá o mesmo a todos os leitores desta obra, mas a verdade é que a ideia d’A Coisa a dado momento me aterrorizou. Que monstro destruidor horripilante! Não sei se haverá maior pesadelo para um amante de livros… Guylain pode parecer inicialmente ao leitor uma personagem murcha, parada, quase sem graça. Mas à medida que o vamos conhecendo, apaixonamo-nos por ele. Ele é, sim, uma pessoa simples. Alguém que se contenta com a sua taça de cereais e o seu peixinho vermelho como única companhia. Mas lá no fundo ele anseia por mais. Há uma solidão escondida, velada, quase que nem sequer é referida. Depois, percebemos que apesar de ser alguém sem muita sorte na vida, é alguém com um coração enorme. Que história! Tão simples e tão impactante! Difícilmente me irei esquecer deste livro, foi provavelmente um dos melhores que já li este ano e ainda assim é quase desconhecido de tão costumeiro. A leitura é fácil e veloz, o autor não enrola, não há pausas nem descrições desnecessárias. Muito, mesmo muito recomendado! 5*, com entrada na lista de preferidos!

O Filho de Mil Homens
Valter Hugo Mãe

O filho de mil homens - Livro - WOOK

Livro Físico

Valter Hugo Mãe, pseudónimo de Valter Hugo Lemos, é um escritor, editor, artista plástico, apresentador de televisão e cantor português. Nasceu em Angola em 25 de setembro de 1971 e já venceu o Prémio Oceanos e o Prémio Portugal Telecom. É um dos mais reconhecidos escritores portugueses da atualidade. Em O filho de mil homens conhecemos Crisóstomo, um pescador solitário de 40 anos que tudo o que mais quer é ter um filho; Casimiro, um orfão por duas vezes, filho de 15 pais, que tudo o que quer é ter uma família e poder estudar; Isaura, a mulher que começa a encolher depois de se ver rejeitada; a anã que tudo o que quer é ser uma mulher como as outras e ter um homem com quem dividir a cama e a vida; Antonino, um gay que queria mesmo era não querer o que quer; e muitos mais… O filho de mil homens é um livro com muitas personagens, que têm entre si uma coisa em comum: a necessidade de amor e aceitação. Não é uma história que se deva ler de uma assentada. Merece ser mastigada, digerida, compreendida. É belíssima a forma como fala do amor nas suas facetas mais reais, das injustiças da vida e da sociedade de forma crua e poética e como nos traz personagens que são ao mesmo tempo caricatas e simultâneamente iguais a nós. É um daqueles livros que tem poesia em cada frase e que ainda assim consegue deixar o leitor com um aperto no estômago e outro no coração. É um livro sobre ser humano, sobre os seres humanos, e todas as nossas dores, medos e necessidades no que elas têm de mais primitivo e mais belo. Escrito de uma maneira magistral, visitando ora uma personagem ora outra, pode ser confuso se não for lido com a devida atenção. Mas merece toda a atenção que possam dispensar! As histórias das diferentes personagens vão-se cruzando aos poucos de forma maravilhosa e surpreendente, coerente, sem deixar pontas soltas nem desvendar demasiado de uma única assentada. O leitor fica agarrado do início ao fim e pode até, quem sabe, soltar uma ou outra lágrima. Revoltante por vezes, comovente quase sempre. Dorido, mas lindíssimo. Muito recomendado! 5*

Novas Cartas Portuguesas
Maria Isabel Barreno, Maria Teresa Horta, Maria Velho da Costa

Wook.pt - Novas Cartas Portuguesas

Livro Físico

Novas Cartas Portuguesas foi um livro escrito a seis mãos, as de Maria Isabel Barreno, Maria Velho da Costa e Maria Teresa Horta e que levaria a que as autoras ficassem conhecidas como As Três Marias. Inspirado no livro Cartas portuguesas, de Soror Mariana Alcoforado, foi publicado pela primeira vez em 1972, quando Portugal se encontrava sob o domínio da Ditadura Salazarista. Novas Cartas Portuguesas chocou a sociedade da época, revelou profundas desigualdades, foi proibido pela censura e as autoras acabaram mesmo por ser processadas e julgadas. Eu tinha muitas expectativas quanto à leitura desta obra e tenho a dizer que ainda assim fui surpreendida. É um livro impressionante! Não é um romance nem um livro poesia ou de cartas ou ensaios. É uma antologia de tudo isso. Não sabemos qual das Três Marias escreveu o quê e isso faz parte do misticismo da obra, e tudo bem. É um livro que denúncia as desigualdades da época, que é ao mesmo tempo um pedido de socorro e um grande grito de revolta. É uma critica ao patriarcado e ao poder instituído, é um manifesto feminista, é um encorajamento e um suspiro de desespero. Algumas partes soam a revolta, outras a poesia, outras são feitas de erotismo. Sabemos que foi um livro que causou bastante alvoroço na altura. Eu atrevo-me a dizer que ainda hoje poderia causar muito alvoroço a certas cabeças. É uma obra realmente interessante, para ler, reler e estudar mais a fundo. É um livro que foi escrito para ser um desafio, e conseguiu atingir o objetcivo. Transformou-se num símbolo contra a ditadura e a opressão e é até hoje um dos textos mais importantes da literatura portuguesa e do feminino português. E acreditem, mesmo que não sejam temas que vos interessem, a leitura vale a pena por si só. Li o livro da biblioteca mas vou comprar um para mim. Tornou-se num dos meus livros preferidos de sempre, talvez até num dos livros da minha vida. Incrível. 10*, imensamente recomendado!

O Apicultor de Alepo
Christy Lefteri

Wook.pt - O Apicultor de Alepo

Livro Físico

Nesta obra conhecemos Nuri e a sua fuga da Síria com a esposa Afra, que ficou cega após a morte do filho de ambos. Numa busca desesperada por uma vida melhor que lhes permita acima de tudo manterem-se vivos e em paz, as personagens deste romance vivem uma dura duplicidade de sentimentos: a dor pela vida que perderam, a vontade de desistir e a esperança numa possivel vida melhor noutra terra que os aceite, onde possam recomeçar. Este é, acima de tudo, um livro extremamente humano. As dores imensas e os sofrimentos pelos quais estas personagens passam são quase inimagináveis. Ainda assim são reais, e a autora expõe esta realidade sem a tornar demasiado cruel, dando a quantidade certa de poesia à sua prosa sem fugir da realidade. Poético, comovente, encantador, adorável e claro, díficil de ler, não pela escrita em si mas por ser algo tão duro. Nuri, a sua família e os seus amigos viviam uma vida normal e isso era tudo o que queriam. Então, a guerra começou e a vida como a conheciam acabou. Perderam amigos, perderam familiares e trabalhos. Viram as suas vidas em perigo, foram obrigados a fugir por terra e por mar, arriscando mais uma vez a vida porque ainda assim era melhor o risco de partir do que a hipótese de ficar. E, claro, foram julgados no lugar de destino. Uma escrita deliciosa e poética, uma história dura e comovente, um livro que me conquistou logo na primeira página e já não me deixou escapar. Muito recomendado! Na verdade, este é provavelmente um livro que todos deveriam ler, nos dias que correm! 5*

E as montanhas ecoaram
Khaled Hosseini

Wook.pt - E as Montanhas Ecoaram

Livro Físico

Nascido a 4 de março de 1965, Khaled Hosseini é um romancista e médico afegão. naturalizado nos EUA. É o autor do conhecido livro O Menino de Cabul, bestseller recomendado pelo plano nacional de leitura. Em E As Montanhas Ecoaram começamos por conhecer Saboor, um pai de família numa aldeia afegã que, para poder sustentar a família se vê obrigado a vender a filha mais nova, Pari, a um casal rico de Cabul. Aos poucos a teia vai-se alargando e vamos conhecendo outras histórias de outras personagens que se cruzaram com essa família e com as personagens que se cruzaram com essa família. Desta forma, o autor mostra-nos a realidade afegã a fundo, apresenta-nos costumes e maneiras de pensar diferentes das nossas, fala-nos sobre a cultura afegã e sobre as dificuldades que se vivem e viveram naquele país. São, na sua maioria, história muito duras. Tristes. De agoniar, de dar um aperto no peito, de nos deixar angustiados. E estão de tal forma bem escritas que a leitura desliza, como se estivessemos a comer um doce e quisessemos sempre mais. Quase disfarçadamente, é também um grito por justiça e igualdade, uma denúncia. Eu admito que já me tinha cruzado várias vezes com livros deste autor e nunca lhes tinha dado atenção. Não me pareciam ser nada de extraordinário. Agora que li este, percebo como estava enganada, são extraordinários sim! Fiquei com vontade de ler os livros todos dele, e provavelmente irei fazê-lo. Mágico, triste, inspirador, um livro que nos faz abrir os olhos para a realidade e viajar. Muito, muito recomendado! 5*, livro preferido!

Aqui a princesa salva-se sozinha
Amanda Lovelace

Wook.pt - Aqui a Princesa Salva-se Sozinha

Livro Físico

Nascida nos Estados Unidos da América em 1991, Amanda Lovelace é uma poetisa e contadora de histórias, formada em literatura inglesa, feminista e defensora dos direitos humanos, que começou a divulgar o seu trabalho nas redes sociais. Aqui a princesa salva-se sozinha é um livro de poesia. São poemas muito breves, alguns com meia dúzia de linhas ou menos, que não rimam. Talvez por serem tão breves podemos ser levados a pensar que vai ser uma leitura fácil e leve, mas não é. São poemas duros, doridos, de alguém que passou por muita coisa. Ainda não tinha chegado a meio do livro e já estava impressionada com a quantidade de coisas pelas quais a autora tinha passado. Chega a ser surpreendente a quantidade de dor e sofrimento que existe nestas páginas, não é uma leitura nada fácil. É um livro belissimo, sem dúvida alguma, e quando percebi que os poemas não rimavam achei realmente que não ia gostar. Mas a verdade é que adorei. É uma leitura forte, impactante, que sem dúvida me vai ficar na memória. Custa a crer como é possível dizer tanto em tão poucas palavras. Impressionante. 5*, recomendado.

Ratos e Homens
John Steinbeck

Wook.pt - Ratos e Homens

Livro Físico

George e Lennie são trabalhadores do campo, que viajam de herdade para herdade sem nunca alcançarem nada de seu. O seu sonho é um dia conseguirem juntar dinheiro suficiente para comprar um pequeno terreno, onde possam ter as suas próprias colheitas e animais e ser os seus próprios patrões. George sabe o que é preciso fazer e sabe como ensinar Lennie a fazê-lo. Mas Lennie tem um problema. Na verdade, ele tem uma clara deficiência mental, que aliada à sua extraordinária força fisíca tem tendência para metê-los (a ambos) em problemas. Irão os dois amigos alguma vez conseguir realizar o seu sonho? Há muita coisa que define um bom escritor. Ter uma boa história é uma. Escrever bem, é outra. Um bom tema, um bom desenvolvimento… A verdade é que há muitos bons escritores. Mas poucos conseguem realmente fazer o que Steinbeck faz neste livro. É uma obra que não passa de uma curta novela, com pouco mais de 100 páginas. Nunca pensei, quando comecei a lê-lo, que chegasse a este nível. Muitos, teriam de escrever 500 páginas para conseguir algo assim. Ele não. Ratos e homens é uma história dura, sobre a vida dura dos trabalhadores durante a Grande Depressão. É um livro que se devora, uma leitura fluída mas muito pesada, uma daquelas histórias que deixa o leitor com o estômago revirado. O final é algo que nos choca, nos incapacita, nos aniquila. Relembra-nos a fragilidade da condição humana, fala-nos de boas e más decisões, de ter ou não a possibilidade de mudar o nosso destino. É uma dor sem igual, um livro que nos faz sofrer. Por um momento temos esperança. Depois, acabou-se. Impressionante, marcante, brilhante. Muito recomendado!

Por amor a mim
Eric Many

Wook.pt - Por Amor a Mim

Livro Físico

Por amor à Menina, o Elefante fazia tudo. Podia atravessar um precipício numa teia de aranha, subir ao Empire State Building ou fazer o pino durante dez horas. Tudo. Mas… será que a Menina também fazia tudo pelo seu Elefante? E como será a reacção do Elefante, se isso não acontecer? Brilhante, comovente, doloroso, este é um livro para falar às crianças sobre o amor, sobre como o amor é um caminho de duas vias e sobre a importância do amor próprio. Uma história simples, com ilustrações simples, mas que conjugadas com o peso desta mensagem transformam este livro num dos melhores livros infantis que vi nos últimos tempos. Verdadeiramente único. 5*, livro preferido!

A Árvore das Recordações
Britta Teckentrup

Wook.pt - A Árvore das Recordações

Livro Físico

A Raposa está feliz, mas muito, muito cansada. Então, deita-se na neve e parte, para sempre. Os seus amigos ficam tristes, vão sentir a falta dela, mas depois começam a lembrar-se de todas as boas recordações que partilham da sua falecida amiga… A Árvore das Recordações é um livro infantil que trata de um tema muito díficil: a morte. Não é um tema fácil de tratar e não e fácil encontrar bons livros sobre este tema, adequados às necessidades das crianças. É por isso que este livro é tão especial. É triste, sim, a história que traz é triste mas a morte também o é e é normal ficar triste nestes momentos. Ainda assim é um livro realmente muito bonito e que nos lembra o que é realmente importante: os bons momentos que partilhámos com quem partiu. Lindíssimo, um livro para ser muito lido e muito trabalho com as crianças e que promete ser um verdadeiro conforto para os mais novos. Muito recomendado! 5*

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s