Cinco teorias da conspiração literárias

Todos nós já ouvimos de certeza alguma teoria da conspiração. Mas e quando elas se aplicam ao mundo dos livros? Engraçado? Curioso? Ofensivo? Digam-me vocês…

Hoje trazemos algumas teorias da conspiração do mundo dos livros que provavelmente nunca ouviram falar… mas que elas existem, existem! Ora vejam lá…

J. K. Rowling não existe

J. K. Rowling: entenda o boicote à criadora de "Harry Potter" e suas obras  - Revista Galileu | Cultura

Joanne Rowling nasceu na Inglaterra a 31 de julho de 1965. É uma das autoras mais vendidas de sempre com a sua saga Harry Potter, tornou-se numa das mulheres mais ricas do mundo, fundou organizações e a sua saga deu origem a um conjunto de filmes êxitos de bilheteira. Ainda assim, há quem defenda que a autora… não existe! Ou melhor, que existe mas não foi ela que escreveu a saga! Segundo esta teoria da conspiração a saga é tão boa e complexa que teria sido escrita por um grupo de escritores, e não por uma pessoa isolada. Bem, de certa forma não deixa de ser um elogio…

.

Jack o Estripador

Biografia de Lewis Carroll, autor de livros infantis e matemático

Jack o Estripador foi a forma como foi designado um assassino em série que teria cometido diversos crimes na zona de Londres em 1888. As vitimas eram habitualmente prostitutas, a quem a garganta era cortada e os orgãos internos retirados através de cortes abdominais. A sua identidade nunca foi descoberta e muitos foram os suspeitos de tais crimes. Um deles era nada mais nada menos que Lewis Carrol, o autor de Alice no País das Maravilhas. Richard Wallace publicou um livro intítulado Jack the Ripper: Light-Hearted Friend em que afirmava ter encontrado provas da autoria dos crimes nas obras do autor inglês.

.

A morte de Albert Camus

3 ideias que vão te introduzir a Albert Camus e a filosofia do absurdo -  Revista Galileu | Sociedade

Albert Camus nasceu a 7 de novembro de 1913 na Argélia e faleceu a 4 de janeiro de 1960 em França alegadamente vitima de um acidente de automóvel. Foi filósofo, romancista, dramaturgo, jornalista e ensaísta e venceu o Prémio Nobel da Literatura em 1957. Dele contamos com obras como O Estrangeiro, A Queda e O Mito de Sísifo. Segundo esta teoria Camus teria sido assassinado pela KGB, a principal organização de serviços secretos da União Soviética que desempenhou as suas funções entre 13 de março de 1954 e 6 de novembro de 1991, em retaliação a um artigo publicado por Camus no jornal francês Franc-Tireur. O autor Giovanni Catelli falou sobre esta hipótese no seu livro A Morte de Camus.

.

O Assassino de John Lennon

Série da Netflix deixa Stephen King apavorado

John Winston Ono Lennon nasceu em Liverpool a 9 de outubro de 1940 e foi assassinado em Nova Iorque a 8 de dezembro de 1980. Era cantor, compositor e ativista pela paz, fundador dos Beatles. Mark David Chapman foi condenado a prisão perpétua por ter dado ao cantor 4 tiros pelas costas, causando a sua morte. Ainda assim para o autor Steve Lighfoot quem matou John Lennon foi mesmo… Stephen King! Na sua obra Stephen King Shot John Lennon, Steve afirma que King teria sido contratado por Ronald Reagan e Richard Nixon para cometer o crime e teria mesmo deixado pistas sobre o assunto nas suas obras Salem e A Zona Morta.

.

A Morte das Irmãs Brontë

Retrato raro das irmãs Brontë pode ser leiloado por 45 mil euros | Livros |  PÚBLICO

Patrick Brontë e Maria Branwell tiveram seis filhos antes de ela tragicamente falecer aos 38 anos com cancro do útero. Maria e Elizabeth, as filhas mais velhas, faleceram vitimas de tuberculose com 11 e 10 anos, respectivamente. A filha seguinte, Charlotte, foi de todos os filhos a que viveu mais: faleceu aos 39 anos, grávida, vitima de tuberculose e febre tifóide, depois de nos deixar obras como Jane Eyre e diversos poemas. Seguia-se Patrick, o único rapaz, que se tornou um pintor e escritor com pouca vontade de trabalhar, viciado em álcool e láudano. Faleceu aos 31 anos, também de tuberculose. A ele seguia-se Emily Brontë, que faleceu aos 30 anos de tuberculose. Só conseguiu escrever um romance, o incrível O Monte dos Vendavais ). A mais nova dos irmãos era Anne Brontë, que nos deixou obras como Agnes Grey e A Inquilina de Wildfell Hall. Faleceu também de tuberculose, em 1849, com apenas 29 anos. Eram uma família fortemente ligada às artes e às letras mas sem grandes posses. De todos, o que viveu até mais tarde foi Patrick o pai, que viu falecer a sua esposa e todos os seus filhos e resistiu até aos 84 anos de idade.
Na opinião de James Tully, autor de Os Crimes de Charlotte Brontë, a autora teria sido cúmplice de Arthur Bell Nicholls, o seu marido, no assassinato de Emily e Anne. Elas teriam falecido não de tuberculose mas sim vitimas de envenenamento, para que o cunhado pudesse ficar com os lucros da venda das suas obras.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s