Crime, Disse o Livro – Anthony Horowitz

250x (5)

“Decidira brincar aos detetives – e se há alguma coisa que une todos os detetives, sem exceção, pelo menos a acreditar no que li, é a solidão. Os suspeitos conhecem-se uns aos outros. Podem até ser parentes ou amigos. Mas o detetive é sempre o elemento estranho. Faz as perguntas necessárias, mas não estabelece relação com ninguém. Não confia neles, e os suspeitos, por seu turno, têm medo do detetive. É uma relação baseada inteiramente no desengano e que, no final, não leva a lado nenhum.”

“Quando perseguimos uma ambição a vida toda, é assustador alcançar o que nos propomos. E o que fazer em seguida?”

 

Resultado de imagem para anthony horowitz

Anthony Horowitz nasceu no Reino Unido em Abril de 1955. É escritor e argumentista e já escreveu até hoje mais de 50 livros, incluindo as séries Pentagram, The Diamond Brothers, Alex Rider e Groosham Grange.

Em Crime, disse o livro, temos duas histórias diferentes. A história das personagens deste livro, e a história das personagens do livro que eles lêem e em torno do qual gira o caso. Parece ser confuso? Não é. Mas é sem duvida diferente.

Numa das histórias conhecemos Atticus Pünd, que investiga duas mortes misteriosas na mesma pequena terra. Na outra Susan Ryeland, uma editora que trabalha há anos com o escritor Alan Conway, autor das histórias sobre Atticus. Quando Alan se suicida inesperadamente, sem entregar o final do último livro, Susan parte em busca das folhas desaparecidas. Mas aos poucos começa a suspeitar que o suicídio de Alan talvez não tenha sido um suicídio…

Este livro é impressionante, antes de mais, pela forma incrível como nos recorda a fantástica Agatha Christie. Parece mesmo que estamos a ler um livro dela! É bom, é empolgante, e ainda por cima não tem um mistério, mas sim dois!

A primeira passagem de um caso para outro magoou profundamente os meus sentimentos de leitora. Foi um choque, mas a ideia era claramente essa. E a ideia de um livro em que a personagem é um escritor que escreve um livro que nos é dado a ler é tão intrincada que é quase filosófica. É dois pelo preço de um! 😉

A escrita é óptima, lê-se de um trago e os mistérios são fantásticos. Eu não consegui desvendar nem um nem outro, mas isso também faz parte da piada. É uma leitura viciante, daquelas que não conseguimos largar até que acabe e se mais houvesse, mais se lia!

Foi sem dúvida uma das melhores leituras do mês até agora.

Livro recomendado!

Livro na Wook

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s