Resumo de leituras [junho 2022]

Se o mundo inteiro fosse feito de histórias
Joseph Coelho

Wook.pt - Se o Mundo Inteiro Fosse Feito de Memórias

Livro Físico

Na primavera, no verão, no outono e no inverno… as memórias da menina desta história são como uma casa e em todas as suas divisões ela encontra o seu avô. Mas o seu avô estava doente e já não está com ela. Se o mundo inteiro fosse feito de memórias é um livro lindissimo sobre a proximidade entre avô e neta e sobre o que é a perda de alguém. Um livro cheio de cor, para lembrar que a perda não tem de ser sempre negra, que as memórias mantém sempre a pessoa viva bem no meio de nós. Comovente, enternecedor, maravilhoso. Muito recomendado! 5*

Até que sejas minha
Samantha Hayes

Livro Físico

Claudia parece ter a vida perfeita. Um trabalho de que gosta, um marido que a ama, dois enteados que a consideram uma mãe e está grávida de uma menina. Contrata Zoe para ama, para a ajudar quando a bebé nascer e o marido, que trabalha na marinha, estiver fora. Mas Zoe tem os seus próprios segredos. Então, algumas mulheres grávidas começam a ser atacadas na zona para tentarem roubar-lhe os seus bebés… A premissa deste livro, de início, não me parecia nada de surpreendente. Achei que já tinha lido algo semelhante. Mas a obra agarrou-me nas primeiras páginas, é um daqueles livros que não se consegue largar, mesmo quando achamos que já sabemos como vai acabar. É uma leitura voraz. Entretanto, tenho de admitir que poucos policiais me agoniaram como este. É forte, capaz de dar a volta ao estomâgo a alguém mais sensivel. Não foi sempre uma leitura fácil, não por ser mau mas por ser demasiado bom, na verdade. E depois… depois, cheguei ao final. E eu que estava convencida, desde o início do livro, de que sabia como aquilo iria acabar, fiquei de queixo caído. A determinada altura tive de voltar atrás na leitura, ao início do capítulo que já tinha terminado, porque achei que tinha lido mal. Empolgante, envolvente, para estomâgos fortes. E muito, muito surpreendente! Adorei! Recomendado, 5*. Talvez até livro para a minha lista de favoritos.

A Raposa
Isabel Thomas

Wook.pt - A Raposa

Livro Físico

A raposa tem três crias. Na floresta cerrada ela procura alimento para elas e ensina-as a acaçar. Até que um dia, a raposa morre. Mas a morte não é necessariamente um fim, antes é um recomeço… Uma bonita história sobre o ciclo da vida, sobre a morte e o recomeço. Um bom livro para falar com as crianças sobre o ciclo da vida e sobre a naturalidade de todas estas coisas. Recomendado. 4*

O livro com fome
André Madaleno

Wook.pt - O Livro com Fome


Livro Físico

Este e um livro com fome. Um livro esfomeadissimo, na verdade. Mas… o que come um livro afinal? Fruta? Legumas? Sopa de letras? Não… Um livro interactivo, didáctico e muito divertido, que promete pôr os mais novos leitores a dar voltas à cabeça para tentar alimentar este livro. Muito bem escrito e ilustrado e com um final maravilhoso! Recomendado! 4*

Como apanhar uma estrela
Oliver Jeffers

Wook.pt - Como Apanhar Uma Estrela

Livro Físico

O menino desta história gosta muito de estrelas. Gosta tanto, tanto de estrelas, que o maior sonho dele é conseguir apanhar uma estrela que se torne só dele! Conseguirá ele alcançar o seu objetivo? Um livro lindissimo sobre o poder da imaginação e sobre a importância de acreditar nos nossos sonhos, mesmo quando eles parecem impossíveis de alcançar. Um dos melhores do Oliver Jeffers. Muito recomendado! 5*

O Museu
Susan Verde

Wook.pt - O Museu

Livro Físico

A menina desta história gosta muito de ir ao museu. As obras de arte inspiram-na verdadeiramente. Lá ela fica assustada, animada, feliz… tem vontade de gritar e, por vezes, saltita alegremente por campos de flores. Até que um dia encontra uma tela em branco… Um bonito livro sobre a arte e os efeitos que uma obra de arte pode ter em alguém. Um livro verdadeiramente inspirador para falar sobre arte e que é um excelente ponto de partida para criar uma atividade com as crianças. Recomendado. 5*

Livro Físico

Em Mãe para jantar conhecemos Sétimo e a sua família de canibais. Quando Mudd, a mãe de Sétimo, percebe que está prestes a morrer chama para junto de si os seus doze filho para que eles cumpram a tradição e… a comam. Mas nem todos ficam contentes com a ideia. Afinal, a carne das mães sabe muito, muito mal. Fiquei curiosa assim que o vi. Achei que era diferente e apesar de eu não ser muito de livros de humor, este era tão diferente que eu quis experimentar. Não me enganei: passei toda a leitura com a sensação de que não sabia o que viria a seguir: podia ser qualquer coisa. E quem me segue sabe, eu leio muito. Não é fácil um livro ser tão diferente ao ponto de eu não saber o que esperar. Não acho que seja um livro para todos. É um livro que ou se adora ou se odeia. Eu particularmente adorei, mas percebo que seja controverso. A forma como o autor trata a questão das minorias e das suas tradições pegando no canibalismo pode ser um pouco ambígua. É um livro controverso, criado para confrontar. Mas também é isso que um bom humorista faz. E este livro é de humor negro, mas é também de humor inteligente. É um livro sobre tradição e identidade, sobre quem realmente somos e quem os outros acham que deveríamos ser. E é um grito de revolta. Recomendado. 5*

Capitães da Areia
Jorge Amado

Livro Físico

Nesta obra conhecemos um grupo de crianças sem casa nem família, que vagueiam pelas ruas da sua cidade e se sustentam com pequenos roubos e outras aldrabices. Temos, por exemplo, Pedro Bala, o chefe; Pirulito, o menino que quer ser padre mas precisa pecar para arranjar alimento; o Sem Pernas, o menino coxo que tudo o que queria era ter uma família; e muitos outros… Eu sabia que ia ser uma leitura comovente, mas nunca pensei que fosse tanto. Capitães da Areia poe facilmente os leitores mais desavisados a chorar. Ler sobre aquelas crianças, perceber o que sentem e o que passam é algo de terrível. Depois, claro, esta é também uma história que nos traz uma curiosa dualidade bem-mal. Os capitães fazem muita, muita coisa má. Mas poderiam eles fazer diferente, tendo em conta as suas próprias condições? Provavelmente não. A leitura é corrida, fácil. Mas a história é dura. Violência, violação, pederastia, abandono… há de tudo um pouco. E é também um livro que tem um fundo de verdade. Algumas personagens existiram mesmo, bem como o bando de crianças abandonadas. Um livro verdadeiramente brilhante, de um autor que irei com toda a certeza voltar a ler. Livro preferido! 5*

Sono
Haruki Murakami

Wook.pt - Sono

Livro Físico

Haruki Murakami nasceu a 12 de janeiro de 1949  em Quioto, no Japão. É um dos mais conceituados escritores japoneses da atualidade e os seus livros são um verdadeiro sucesso de vendas. No conto Sono conhecemos uma mulher que tem uma vida perfeitamente comum: mãe de um rapaz, casada com um dentista, passa os seus dias entre as compras, os afazeres domésticos e meia hora na piscina do bairro. Até ao dia em que, pura e simplesmente, tem um pesadelo e deixa de dormir. Ela já tinha tido um episódio de insónia antes, mas nada que se parecesse. Afinal, da primeira vez, a insónia levava a que o sono a atormentasse durante o dia. E ela dormia, pouco, mas dormia. Porém da segunda vez ela não dorme. E não tem sequer sono. E assim vive, durante 17 dias. E ao não conseguir dormir ela decide aproveitar o seu tempo de outras maneiras. Admito que quase senti uma certa inveja da personagem por não precisar de dormir e poder dedicar-se tantas horas a algumas coisas… mas depois mudei de ideias. Sono não é um conto linear sobre o qual possamos dar uma explicação que seja aceite por todos os leitores. É um conto aberto a diferentes interpretações e pontos de vista, com um final abrupto que deixa muita coisa em jogo e faz o leitor continuar a pensar nele. Marcante e estranho, diferente, surpreendente e, no limite, até um pouco agoniante. Mas é isso que leva a que um escritor se destaque: o efeito que os seus textos produzem no leitor, mesmo após terem terminado a leitura. E Murakami é um escritor pura e simplesmente brilhante. Não acho que seja um conto para todos, facilmente compreensível ou que vá agradar ao público em geral. E tudo bem, porque também não é isso que se espera dele. Ainda assim é uma leitura agradável e que agarra. Nota ainda para a edição da Casa das Letras, que é lindíssima. Muito recomendado. 5*

O Papalagui

Livro Físico

Publicado originalmente em 1920 O Papalagui relata a maneira como o chefe da tribo de Tiavéa nos Mares do Sul viu e o que pensou sobre os brancos e a sua forma de vida. São so discursos do chefe a explicar à sua tribo a comunidade branca, numa época em que tudo, desde a forma de vestir à forma de pensar dos brancos, lhes era desconhecida. É um livro curto, que se lê em menos de nada, mas nem por isso é pouco completo. Inicialmente, pensamos que é apenas algo “engraçado”, vemos o ponto de vista dos indígenas sobre as roupas e a cultura branca. Depois, com o correr das páginas, começamos a perceber que eles até têm razão em algumas coisas. Levam uma vida mais simples, mais honesta, mais ingénua (no bom sentido), mais conectada com o mundo… Um livro divertido e bonito, que nos põe um sorriso nos lábios mas nos deixa a pensar em coisas sérias. Muito recomendado. 4,5*

A Cadela
Pilar Quintana

Livro Físico

Nesta obra conhecemos Damaris, uma mulher cujo maior sonho era ser mãe. Com o marido, Rogelio, acorrem a diversos místicos na esperança de conseguirem uma gravidez mas encontramo-los neste livro já na casa dos quarenta e sem esperança de virem a ser pais. Damaris, num acesso de espontâneadade, adopta então uma cadela bebé, a quem dá o nome que teria dado à filha que nunca teve. Mas a cadela vai crescendo e defraudando as expectativas que Damaris tinha nela. Uma narrativa que nos envolve num ambiente místico e assustador, com a selva de um lado e o mar do outro, e nos faz temer as tempestades e as criaturas da noite. Mas os maiores terrores desta história estão longe de ser os da natureza: são os sonhos defraudados, as expectativas roubadas, o olhar e os julgamentos alheios, a morte e os traumas. É uma história dura, de uma mulher que nunca alcançou a felicidade, de um homem que parece duro e cruel mas no fundo está apenas a enfrentar as coisas à sua maneira. E de uma cadela que, no fundo, é só uma cadela. É uma leitura fluída e agradável, mas não é uma leitura fácil. É uma leitura que nos traz temas difíceis e um final que nos deixa de coração apertado e lágrima no canto do olho. Como é possível chegar àquele ponto?! Pilar Quintana revela um dom com este livro. Ela consegue realmente levar os leitores ao meio da selva, pô-los a ouvir as tempestades do mar e a ver o pequeno Nicolasito surgir do meio das ondas. Doem-nos as dores destas personagens. Muito recomendado. 5* Provavelmente um dos melhores livros que lerei este ano.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s