Breves curiosidades sobre poesia

Celebra-se a 21 de Março o Dia Mundial da Poesia, instituído a 16 de novembro de 1999 na  30ª Conferência Geral da UNESCO.

A poesia não é um género muito lido ou falado, infelizmente. Há até quem diga que está fora de moda. Entretanto, nós por cá admitimos que somos devoradores de poesia e recomendamos! Por isso mesmo hoje decidimos falar um pouco sobre ela na esperança de lhe conquistar leitores. Vamos a isto?

Um poema é um texto literário composto por versos que podem ou não rimar. Esses versos agrupam-se em estrofes.

Há diversos tipos de poemas. Um poema pode ser monástico (estrofe com 1 verso), dístico ou parelha (estrofe com 2 versos) terceto (estrofe com 3 versos), quadra (estrofe com 4 versos), quintilha (estrofe com 5 versos) sextilha (estrofe com 6 versos), sétima (estrofe com 7 versos) oitava (estrofe com 8 versos), nona (estrofe com 9 versos), décima (estrofe com 10 versos) ou irregular (estrofe com 11 ou mais versos). Uma forma poética muito comum é o soneto, um poema constituido por um conjunto de duas quadras seguidas de dois tercetos.

Poesia Épica

Os Lusiadas de Luis Vaz de Camões

O poema épico, também chamado de epopeia, é um poema extenso que existe desde a época clássica e que relata factos lendários, heróicos, históricos ou mitológicos. Neste género incluem-se por exemplo A Iliada e A Odisseia de Homero e Os Lusíadas de Luís Vaz de Camões.

Cantigas medievais galeco-portuguesas
Cantigas trovadorescas

Cantiga de Amigo criada por D. Dinis, Rei de Portugal

Estas cantigas eram declamadas por trovadores na idade média e são divididas em três grandes géneros: as cantigas de amigo, as cantigas de amor e as cantigas de escárnio e maldizer. São cantigas em geral breves (até porque tinham de ser aprendidas de memória e cantadas) e foram produzidas entre finais do século XII a meados do século XIV.
Se quiserem saber mais sobre estas cantigas recomendados (imenso!) o site Cantigas Medievais Galeco-Portuguesas e se quiserem podem ler e ouvir algumas aqui.

Haikus

quero contemplar uma flor
à primeira luz do dia
para ver a face de um deus

Os haikus são uma forma de poesia tradicional do Japão. São consituidas habitualmente por uma espécie de corte entre duas ideias partilhadas através de um poema de curta dimensão com (tradicionalmente) 17 on (sons)que pretende captar um determinado momento. Tiveram início no Japão no séc. XVII, altura em que eram ainda considerados um jogo de palavras. Foi com Matso Basho que passaram a ser considerados literatura. Podem ver aqui o livro O Eremita Viajante de Matso Basho.

Poesia de Intervenção

Muitas vezes quano se fala em poesia as pessoas lembram-se automaticamente dos poemas românticos. Mas a verdade é que a poesia é muito mais que isso! A poesia é tudo o que quisermos. Incluindo uma arma.
A poesia de intervenção foi usada em Portugal sobretudo contra a ditadura salazarista e a guerra colonial. Não é um género literário autónomo nem unanimemente aceite mas não podemos negar a importante faceta que a poesia desempenha neste assunto.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s