Interpass – produto perfeito ou vigarice?

Hoje venho falar-vos de algo diferente. Algo que aconteceu connosco e não podiamos deixar passar em branco sem divulgar o alerta.

Um dia destes, vinhamos nós de regresso de uma viagem de carro, quando recebi um telefonema de marketing da interpass. A conversa, explicando assim muito resumidamente, era que nos queriam oferecer um vale de alojamento num dos hóteis com que trabalhavam porque tinham visto algo online que tinhamos escrito (não cheguei a perceber muito bem essa parte) e que, como sabem que a melhor forma de publicidade é aquela que é feita pelos clientes, o “passa a palavra“, esperavam que fosse uma forma de ficarmos a conhecer e a falar bem da empresa (a interpass).

Se eu desconfiei? Claro que desconfiei. Ninguém dá nada a ninguém normalmente. Fiz pergunta atrás de pergunta e eles tinham resposta para tudo. Acabei por dizer que ia buscar o vale, pensei “vamos ver no que isto dá”.

Bem, o que era para ser, segundo eles, “apenas 10 minutos para ir buscar o vale” transformou-se em duas horas de conversa fiada para que nos tornassemos sócios da interpass. Nós estavamos estourados naquele dia e aquilo foi um verdadeiro martírio, mas como nos estavam a dar o vale lá os ouvimos. Verdade seja dita, eles têm a formação completa em estratégias de marketing. Pelo que pude perceber das mesas à minha volta, quase toda a gente estava a assinar o que eles queriam. É uma completa lavagem cerebral e as pessoas saem de lá a achar que fizeram o melhor negócio das suas vidas. Mas pelo que vejo na net, não demoram muito a perceber que se enganaram…

Foi-nos dito lá que a interpass proporciona descontos em seguros de saúde, contas de telecomunicações, viagens e mais uma data de coisas. Nós devemos ter perguntado umas 15 vezes “mas quanto é que se paga para ser sócio?”. Não nos respondiam. No fim lá chamaram a superior para nos explicar o pagamento. 60€ por mês durante já nem sei não sei quantos anos.

Não assinamos nada. Trouxemos o vale e acabou. Eles são persistentes, mas estes bibliotecários são muito teimosos!

Depois, claro, fui fazer as minhas pesquisas. E houve imensa coisa que eles se esqueceram de nos contar, obviamente. Entre taxas anuais que chegam às centenas de euros e que se mantêm pela vida toda, a ofertas que as pessoas não conseguem usufruir, a contratos que não conseguem rescindir, as queixas são inúmeras e variadas. Se quiserem ver mais a fundo recomendamos o Portal da Queixa e a Deco Proteste mas podem procurar no google que há muito por onde escolher.

Depois, fui tratar de tentar marcar o tal alojamento que eles nos “ofereceram”. Se eu achei que ia resultar? Não, não achei, mas não ia falar aqui da situação antes de tentar.

E o que era para ser, segundo a primeira conversa telefónica que tivemos com a empresa “uma oferta de alojamento” transformou-se numa viagem para a qual teriamos de pagar 398€+seguro de viagem. Fui fazer a pesquisa e o mesmo alojamento, nas datas propostas (época baixa), custar-nos-ia cerca de 306€ se marcado por nós, sem vale. Sim, eles tem lá mais algumas coisas, mas de qualquer forma, está longe de ser uma oferta de alojamento.

Não tenho outra forma de acabar este post sem ser esta:

TENHAM CUIDADO! NÃO ASSINEM NADA!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s