Resistência – Maria Teresa Horta [Poema da Semana]

Maria Teresa Horta - Portal da Literatura

Ninguém me castra a poesia
se debruça e me põe vendas
censura aquilo que escrevo
nem me assombra os poemas


Ninguém me paga os versos
nem amordaça as palavras
na invenção de voar
por entre o sonho e as letras


Ninguém me cala na sombra
deitando fogo aos meus livros
me ameaça no medo
ou me destrói e algema


Ninguém me aquieta a escrita
na criação de si mesma
nem assassina a musa
que dentro de mim se inventa

Maria Teresa Horta

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s