Luanda Lisboa Paraíso – Djaimilia Pereira de Almeida

Wook.pt - Luanda, Lisboa, Paraíso

Livro Físico

“De noite, perde o medo: É da cor da cidade, caminha sem o fardo de ser visto, ninguém dá por ele. Tem a cor dos pombos, dos vagabundos, dos gatos, das putas do Cais do Sodré, cuja cara não distingue vndo-as de passagem, os seus cabelos caju lambidos, os lábios gastos; da cor dos táxis estacionados a ouvirem relatos, da cor dos telhados, das estátuas, da cor do céu.”

“Esquecidos dentro de livros com bicho, os beijos de Glória em papel de carta eram beijos de ensaio dados nos próprios braços por uma menina sozinha. Cartola não cheirava sequer o papel à procura do hálito dela. Sabia que Glória existia, mas era ele ou ela, a vida ou a morte.”

Embaixada da República de Angola em Portugal | Escritora angolana Djaimilia  Pereira de Almeida conquista prémio de Literatura Oceanos
Djaimilia Pereira de Almeida

Djaimila Pereira de Almeida nasceu em Luanda, Angola, em 1982. Crescida em Portugal, esta jovem escritora portuguesa licenciou-se em Estudos Portugueses na Universidade Nova de Lisboa e doutorou-se em Teoria da Literatura, na Universidade de Lisboa. Já venceu os prémios Novos 2016 – categoria Literatura, Prêmio de Ensaísmo serrote, atribuído pela Revista serrote (Instituto Moreira Salles, Brasil) e o Prémio Oceanos.

Em Lisboa Luanda Paraíso conhecemos Cartola e a sua família. Quando o filho mais novo de Cartola, Aquiles, nasce, traz com ele uma triste surpresa: um calcanhar doente, que precisará de ser operado quando o jovem fizer 15 anos. A mãe de Aquiles, Glória, adoece pouco depois do nascimento da criança e vive acamada durante os anos que se seguem. Quando Aquiles faz quinze anos, o pai parte com ele para Lisboa para que o jovem possa receber tratamento médico, deixando para trás Luanda, a sua mulher e filha. Mas será que pai e filho irão conseguir encontrar em Lisboa o que procuram? A cura? O paraíso? E poderá uma amizade salvar alguém do seu próprio desespero?

Eu não achei que este livro tivesse uma história excepcional. É uma história singela, calma, lenta e escura como a tristeza. Não nos traz grandes ensinamentos nem inspirações, mas ainda assim é uma história lindíssima.

O livro ganha, sem dúvida alguma, pela maneira como está escrito. O texto de Djaimilia foge-nos perante os olhos, o livro devora-se e em menos de nada já foi. A escrita é mágica, bonita e triste, o género de escrita que eu pessoalmente adoro. Apesar de a história não ter nada a ver, a escrita relembrou-me a sensação que tive ao ler Torto Arado e já não consegui largar o livro.

É uma história que de maneira pacifica nos fala das diversas faces do amor, que nos fala de amizade e de exílio e nos relembra que as relações humanas são extremamente complexas.

Livro recomendado. Vale muito a pena. 4*

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s