A Fuga de Auschwitz – Joel C. Rosenberg

“Pouco depois ouviram um órgão tocar e os seus torturadores cantando hinos e lendo as escrituras. Quem eram aquelas pessoas? A que Deus estariam a rezar? Como podiam espancar, chacinar e queimar seres humanos durante seis dias por semana e, depois, ler a Bíblia e rezar aos domingos?”

 

“Encontrava-se no inferno. Quem sabia ao certo o que a vida para lá da morte reservava? Ninguém, mas como podia ser pior do que aquilo? Ali eram obrigados a trabalhar até à morte, a passar fome. Eram espancados por desporto. Ali dentro, as pessoas não eram nada: nem um nome, nem uma alma: apenas um número, e inútil, ainda por cima. Um violador e um assassino alemão mais valiam do que um judeu inocente. Fora parar a um lugar onde não havia esperança, onde não havia vida e do qual não havia maneira de escapar a não ser pela chaminé. Talvez o homem tresloucado tivesse razão: mais valia viver livre, ou morrer o mais depressa possível.”

 

Depois de ver os seus pais e irmã serem mortos pelos nazis Jacob junta-se ao tio como membro da resistência. O objectivo? Salvar o máximo de vidas possível. Mas os nazis também estão decididos a matar o máximo de judeus possível e Jacob acaba apanhado nas suas teias e metido no comboio que vai directo para Auschwitz. Já no campo, o choque é tremendo. Afinal, o que Jacob pensava ser apenas um campo de trabalho para a força alemã é um verdadeiro campo de extermínio. Judeus (e não só) são mortos aos milhares de uma vez. Jacob começa a perder a fé num Deus de que nunca foi muito próximo.

É então que conhece os irmãos Max e Abby e os outros membros da resistência presentes no campo. A fé de Jacob continua vacilante, mas agora tem um objectivo: fugir e contar ao mundo lá fora a verdade sobre os campos de extermínio nazis!

A fuga, realizada sempre em pares, é com Jean-Luc, de todos a pessoa que mais intriga Jacob. Afinal, que faz um pastor protestante num campo como aquele? É cristão, loiro e de olhos azuis. Passava facilmente por ariano. Então porque foi preso? Porque arriscou e continua a arriscar a sua segurança, a sua vida, para salvar judeus? Ali, os judeus não são nada. Mas Jean-Luc parece não pensar assim.

De fés diferentes mas com um objectivo em comum, Jacob e Luc vão então arriscar as suas vidas para contar ao mundo a terrível verdade. Irão conseguir passar as cercas do campo? Fazer a viagem? E, se conseguirem, será que alguém lá fora vai acreditar neles?

Este é um livro pesado, que nos leva directamente para dentro do campo de concentração. Vemos o dia a dia dos prisioneiros, as dificuldades, os trabalhos e a fome por que passavam. Por vezes é preciso levantar os olhos do livro e tentar interiorizar que aquilo é um romance histórico, baseado em factos reais. Aquilo aconteceu mesmo. As câmaras de gás, as cercas electrificadas, as pessoas que pareciam esqueletos vivos, existiram mesmo! E cá fora, no resto do mundo, as pessoas continuavam a viver as suas vidas normalmente, com o rumor da guerra em volta, mas sempre sem saber e sem acreditar que os rumores dos campos eram mais que rumores.

A escrita do autor é boa, fácil de ler, e a história melhor ainda. Conseguimos mesmo ver o terror dos campos de concentração pelos olhos de um prisioneiro, sentimos os seus medos e vemos a morte a beirar em cada página. Na fuga, sentimo-nos quase como se estivéssemos dentro de um filme de acção em que é preciso escapar, fugir e não deixar que todos aqueles nazis carregados de armas nos encontrem. Irão os fugitivos escapar? Conseguirá Jacob sobreviver, contar a sua história e recuperar a sua fé?

Este é um livro que fala de uma das épocas mais negras da humanidade a sangue frio, sem no entanto deixar de falar de amor, de amizade e, sobretudo, de fé. Como é possível viver durante anos num lugar como aquele, em que todos os dias se vê pessoas serem mortas sem motivo e em que todos os dias se teme pela própria vida e, ainda assim, nunca duvidar de Deus?

Livro muito recomendado!

Livro na Wook

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s